Atriz pornô vai à justiça contra o PT para ter direito de se filiar a sigla

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Com 1,5 milhão de seguidores, Ester Caroline Pessatto, conhecida como Tigresa Vip, chegou a ter pré-candidatura a deputada estadual anunciada em evento na capital Cuiabá.

Advogados da atriz pornô Ester Caroline Pessato, de 24 anos, ajuizaram ação na noite desta terça-feira (24) contra o Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores em Mato Grosso para garantir a filiação da mulher ao PT. Conhecida como Tigresa Vip, Ester, que tem mais de 1,5 milhão de seguidores nas redes sociais, tem como objetivo disputar uma vaga de deputada estadual pelo partido.

Ester Caroline Pessatto

A veículos de imprensa locais, líderes do partido, como o deputado estadual Valdir Barranco, alegaram irregularidades no processo de filiação de Ester. Ela teria se filiado no município de Barão de Melgaço sem autorização do diretório municipal.

“Deve-se registrar que a Demandante havia solicitado a transferência de seu título de eleitor para o município de Barão de Melgaço/MT, onde reside atualmente. Materializada a mudança de seu domicílio eleitoral, a sua filiação partidária também foi transferida”, argumenta a defesa na ação ajuizada nesta terça-feira.

Os advogados de Ester alegam que o processo de suspensão da cliente foi realizado sem transparência, direito ao contraditório e ampla defesa. Segundo eles, a atriz teve a filiação na sigla, feita pelo site do partido, confirmada no dia 2 de abril. No dia 14 do mesmo mês, a sua pré-candidatura foi anunciada em evento do PT, na capital Cuiabá.

Quatro dias depois, o Diretório Estadual através de uma votação realizada em um grupo de Whatsapp decidiu suspender a filiação de Ester. A mulher recorreu então da decisão ao Diretório Nacional do PT, que confirmou a suspensão no dia 13 de maio.

— A única forma de suspender ou excluir um filiado é instaurar um processo, com direito ao contraditório e ampla defesa. E nada disso foi feito, eles sumariamente suspenderam a filiação — diz o advogado Paulo Lemos, que defende a atriz.

“A Requerente teve sua filiação suspensa, sem direito ao contraditório ou à ampla defesa, tampouco houve publicação, intimação de pauta, ata de convocação, ou qualquer notificação de infração ao estatuto da agremiação”, diz a ação.

Vídeo: Ucranianos usam drone kamikaze para destruir tanque russo com soldados em cima

Ester também é defendida por Julier Sebastião, ex-juiz federal e candidato do PT à prefeitura de Cuiabá em 2020. Lemos, filiado ao PT e ex-ouvidor-geral da Defensoria Pública do Mato Grosso, acredita que a suspensão da atriz pornô foi motivada por um misto de conservadorismo e interesse eleitoral.

A controvérsia no entorno da pré-candidatura de Ester Pessatto se arrasta desde meados de abril. Uma das polêmicas, citada na ação, envolveu um áudio atribuído à deputada federal Rosa Neide (PT-MT). Nele, Rosa Neide supostamente afirma ter visto um vídeo da atriz e alertado a presidenta do partido:

— Se é para fazer campanha política sendo chacota para o país, não estou disposta. Então já enviei para a presidenta (Gleise Hoffman) e espero que segunda-feira o deputado Valdir Barranco, nosso presidente, possa fazer uma reunião e discutir a questão antes que seja tarde demais — diz o áudio.

Apoio do Estado Islâmico: Iraquiano é preso por tramar tentativa de assassinato de George W. Bush

Lemos argumenta também que Barranco, presidente estadual do PT, teria receio de que a candidatura de Ester Pessatto tirasse votos seus no município de Alta Floresta, onde a atriz morou. Procurados, Barranco e Rosa Neide não responderam aos pedidos da reportagem. O espaço segue aberto.

Procurada pela imprensa de Mato Grosso na época do vazamento, Rosa Neide não negou a autoria do áudio. Em nota, ela afirmou que o PT é um partido dinâmico e plural.

— Quem articulou a minha saída, a minha expulsão, foi o deputado estadual Valdir Barranco com a deputada federal Rosa Neide — disse Ester, que cita o deputado estadual Lúdio Cabral como um dos que apoiou sua candidatura.

Ester Pessatto relatou ter tido dificuldade em se filiar ao partido ainda em março, quando estava em Alta Floresta, o que a teria feito optar pela filiação online:

— Toda vez que eu falava que queria me filiar eles enrolavam. Eu fiquei uns 4 dias mandando mensagem, ligando para o presidente do partido em Alta Floresta e ele sempre inventava uma desculpa — conta Ester.

Agência O Globo

Gleison Fernandes
Gleison Fernandeshttps://portalcidadeluz.com.br
Editor Chefe do Portal Cidade Luz

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

TRE inicia escolha de mesários para atuar na eleição de outubro

A Justiça Eleitoral iniciou nesta terça-feira (05) o processo de escolha dos mesários que vão atuar na eleição de...

Casal é preso pela segunda vez suspeito de fazer distribuição de drogas em Floriano

Segundo investigação da Polícia Civil, os suspeitos traziam drogas de fora da cidade e distribuíam para outros traficantes dentro...

WhatsApp vai permitir que usuário oculte que está online, diz site

O WhatsApp deve lançar em breve a opção que permite aos usuários esconder que estão online em seu status...

UFPI anuncia corte de R$ 7,7 milhões e diz que manutenção do custeio se agrava

A Universidade Federal do Piauí (UFPI) anunciou, nesta segunda-feira (04), que sofreu um corte em seu orçamento que chega...
spot_img

SBT demite Léo Lins após piadas sobre crianças com hidrocefalia e Teleton

No último final de semana, viralizou um vídeo em que Lins debocha de uma criança com hidrocefalia. O humorista Leo...

Entra em vigor lei que cria o Dia Nacional da Natação

A Lei que institui o Dia Nacional da Natação para ser comemorado dia 2 de agosto foi sancionada pelo...
spot_img

Posts Recomendados