Brasil fecha 2023 com segundo pior resultado da história; déficit chega a R$ 230 bilhões

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Resultado pode aumentar a inflação, impactar no ciclo de redução da taxa de juros e afetar o custo do crédito para o cidadão, alerta economista.

Quando falamos em finanças, planejamento nem sempre é sinônimo de sucesso. Despesas inesperadas e faturas que não estavam previstas podem desorganizar as contas e aumentar o rombo financeiro. Isso vale para qualquer situação — inclusive, para as contas públicas.

Brasil fecha 2023 com segundo pior resultado da história

Gastos com precatórios, que foram quitados no fim do ano passado, e a compensação da União aos estados e municípios pelas perdas com a redução do ICMS em 2022, segundo o Ministério da Fazenda, foram os culpadas pelo déficit inflado. O país fechou o ano passado com o segundo maior déficit primário da história: 230,5 bilhões — o que representa 2,1% do Produto Interno Bruto (PIB). O rombo financeiro só perde para 2020, quando vivemos o auge da pandemia de Covid-19.
Segundo o economista e doutor em Ciências Políticas pela Unicamp, Felipe Queiroz, uma forma simplista de ver os números é entender que o déficit significa que o governo gastou mais do que arrecadou. “Mas mesmo numa conjuntura de recessão e baixo crescimento econômico, déficit se faz necessário para estimular a atividade.”

Para o cidadão comum, o que esses números impactam? 

Na prática, o que o déficit fiscal pode impactar o cidadão, não depende apenas desses números. Mas o economista Felipe Queiroz explica quais são as possíveis consequências do rombo.

“Pode produzir — mas não necessariamente produzirá — um efeito inflacionário. Pode afetar o ciclo de redução da taxa de juros e, em última instância, afetar o custo do crédito para o cidadão comum, e aumentar a taxa de juros para o financiamento que ele já tenha, ou não.” 

A ressalva, segundo Felipe Queiroz, é importante frisar, já que há um conjunto de outras variáveis que influenciam no momento do resultado final da inflação — e não apenas o gasto do governo. 

Precatórios, compensação aos estados e metas para 2024

O governo federal decidiu pagar os precatórios atrasados de anos anteriores, o que somou R$ 92,4 bilhões. Outros R$ 27 bilhões foram distribuídos a estados e municípios como forma de compensar esses entes pelas perdas com a arrecadação do ICMS durante o governo Bolsonaro. 

Sem considerar o pagamento dos precatórios, o déficit primário foi de R$ 138,15 bilhões, o que corresponde a 1,27% do PIB. Ainda assim, o número ultrapassa a meta prevista pelo ministro da Fazenda, Fernando Haddad, que era um rombo de até 1% do PIB. 

O número negativo de 2023 pode ter reflexo nas contas de 2024. Luigi Mauri, economista, explica que a expectativa do ministro Haddad — de conquistar o déficit zero — pode estar mais longe do que o que ele gostaria. 

“Nós temos a certeza de que aumentam-se as dúvidas com relação à possibilidade de déficit zero em 2024. As chances já eram consideradas baixas — e agora, com esse resultado, a expectativa é muito maior de que o governo não vai ter a capacidade de cumprir essa meta.” 

Dados divulgados pela Secretaria do Tesouro Nacional mostram que a receita total do governo em 2023 foi de R$ 1,931 trilhão — queda de 2,2% em termos reais em relação a 2022. Já os gastos no mesmo ano foram de R$ 2,162 trilhões — com alta real de 12,5% em relação ao ano anterior.

Fonte: Brasil 61

Gleison Fernandes
Gleison Fernandeshttps://portalcidadeluz.com.br
Editor Chefe do Portal Cidade Luz

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

Escola municipal de Floriano programa atividade de ciclismo “1º Pedal Escola-Família” com pais e alunos

O pedal é uma sequência de uma atividade desportiva realizada em 2023 pela escola e que teve uma grande...

Mulher suspeita de produzir e divulgar conteúdo sexual da própria filha de quatro anos é presa no Sul do Piauí

Segundo o delegado titular de Baixa Grande do Ribeiro, Marcos Halan, a presa alega que foi ameaçada e obrigada...

Usina de Boa Esperança em Guadalupe opera normalmente com 58,90% de armazenamento, afirma Chesf

Por Gleison Fernandes - Jornalismo da UCA. A Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf) informou na sexta-feira (23), que a...

Carro-Pipa é a principal fonte de abastecimento de água para 102 mil piauienses

Mesmo que o uso do carro-pipa não seja indicado, essa é a principal fonte de abastecimento para muitos nordestinos. O...
spot_img

Edital do concurso da Polícia Penal do Piauí com 200 vagas está previsto para próxima semana

O secretário estadual de Justiça do Piauí (Sejus), Carlos Augusto, anunciou para a próxima sexta-feira,1º de março, o lançamento...

Ministério Público de Alagoas investiga show do Léo Santana em Alagoas por alto custo

O MP de Alagoas entrou com uma ação para investigar um show de Léo Santana programado para o próximo...
spot_img

Posts Recomendados