Brasil registra 2.929 mortes em 24 horas e passa de 370 mil óbitos

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

No total, 371.678 pessoas morreram no país em decorrência da doença causada pelo coronavírus, de acordo com dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde.

O Brasil registrou 2.929 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas e passou de 370 mil óbitos pela doença desde o começo da pandemia. No total, 371.678 pessoas morreram no país em decorrência da doença causada pelo novo coronavírus, de acordo com dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) divulgados neste sábado (17).

Foto: Reprodução

Nas últimas 24 horas, o país confirmou mais 67.636 casos de Covid-19, o que elevou o número total de casos desde o começo da crise sanitária para 13.900.091. O levantamento feito pelo Ministério da Saúde confirmou os mesmos números totais e também os das últimas 24 horas.

Com os novos números, a média-móvel de sete dias das vítimas fatais da Covid-19 ficou em 2.906, uma alta ante a mesma métrica até sexta-feira (16), que ficou em 2.862 óbitos.

Os dados deste sábado consolidam a segunda semana epidemiológica (de domingo a sábado) mais fatal desde o início da pandemia, com 20.344 mortes por Covid-19. O recorde até aqui é da semana epidemiológica anterior, de 28 de março a 3 de abril, quando 21.141 óbitos foram registrados. 

Mais de 3 milhões de mortos no mundo

Também neste sábado, o número de vítimas fatais da Covid-19 em todo o mundo passou da marca de 3 milhões, segundo dados compilados pela Universidade Johns Hopkins. Em números absolutos, o Brasil é o segundo país com mais mortes pela doença, atrás somente dos Estados Unidos (566.714 óbitos). 

Na sequência aparecem o México (211.693), a Índia (175.649), o Reino Unido (127.507), a Itália (116.676), a Rússia (103.451) e a França (100.752). Alemanha (79.910) e Espanha (76.981) fecham a lista das 10 nações com mais mortes no total.

Vacinação no Brasil pode ser concluída até agosto

Em entrevista à CNN, o médico sanitarista e ex-diretor da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) Gonzalo Vecina Neto afirmou que há possibilidade de a vacinação contra a Covid-19 ser concluída ainda neste ano no Brasil.

A projeção leva em conta a perspectiva de adiantamento do envio de doses ao país por parte do consórcio Covax Facility e a chegada de lotes dos imunizantes desenvolvidos pela Pfizer, totalizando mais 70 milhões de doses. Se o cenário otimista se concretizar, todos os adultos brasileiros podem ser vacinados até o fim de agosto, disse Vecina.

Gregory Prudenciano, da CNN, em São Paulo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

‘Churrasco do brasileiro’: Preço da picanha cai, mas cerveja fica mais cara em 12 meses

Carnes, frango e linguiça estão mais em conta, mas pão de alho, vinagrete e bebidas se tornaram principais vilões...

Com investimento de R$ 3 milhões, governo do Piauí entrega escola “modelo” em tempo integral

Fundado em 1938, o Ceti Fenelon Castelo Branco foi totalmente reformado e requalificado para se adequar ao padrão Seduc. O...

Campeonato de Jerumenha estreia com vitória dominante do China sobre o Serraria por 4X0

O Campeonato de Futebol de Jerumenha teve seu pontapé inicial ontem, 13 de abril, com um confronto entre as...

Wellington Dias defende Bolsa Família para trabalhadores rurais com carteira assinada

A matéria tramita na Câmara dos Deputados e sofre pressão da bancada ruralista, que tenta acelerar a aprovação do...
spot_img

PL que regula atividade dos motoristas de aplicativos ganha mais tempo na Câmara

Os profissionais seguem acompanhando as discussões no Congresso, que agora terá o texto analisado por outras 3 comissões da...

Mais R$ 1,4 bilhão está ao alcance dos produtores rurais por meio do Plano Safra

O montante disponível para operações de crédito foi anunciado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).  Advogado especialista...
spot_img

Posts Recomendados