Como o excesso de açúcar pode levar a problemas de memória

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Trabalhos têm apontado como uma dieta rica em açúcares danifica células do cérebro e aumenta o risco de demência

Doces, refrigerantes, alimentos ricos em carboidratos, a alimentação moderna é repleta de açúcares que tornam as comidas mais palatáveis e desejadas. O excesso, no entanto, não é inofensivo – no ano passado, pesquisadores chineses e americanos publicaram na revista científica The BMJ um estudo que o relaciona com 45 desfechos negativos de saúde. E engana-se quem pensa que os efeitos são apenas ligados a problemas metabólicos, como obesidade e diabetes.

Cerca de 4% das consequências analisadas no estudo dizem respeito à saúde do cérebro, que cada vez mais tem sido associada àquilo que se coloca no prato. Outros trabalhos têm explorado como o consumo de açúcar além do recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) – de até 10% da ingestão diária de calorias, cerca de 50 g – afeta células do sistema nervoso e eleva o risco de problemas de memória e declínio cognitivo a longo prazo.

Divulgação

Um dos mais recentes, publicado também no ano passado no periódico PLOS Biology e conduzido por cientistas do Centro de Câncer Fred Hutchinson, descobriu que uma dieta rica em açúcar torna as células da glia, presentes no sistema nervoso e importantes para o bom funcionamento dos neurônios, resistentes à insulina.

“Essas descobertas mostram como o consumo de alimentos processados não afeta apenas o ganho de peso, mas também a função cognitiva. Afeta o funcionamento profundo do seu corpo”, disse em comunicado o pesquisador Akhila Rajan, responsável pelo trabalho.

No estudo, conduzido com moscas de frutas, animais frequentemente utilizados para pesquisas sobre o cérebro, os cientistas observaram que essa resistência levou a danos na ação das células da glia, afetando uma função importante, a de limpar resíduos de processos celulares no cérebro. Eles afirmam que esse mecanismo pode ajudar a justificar como a dieta influencia o risco de problemas neurodegenerativos, como a doença de Alzheimer.

“A obesidade é um fator de risco independente para a demência, mas o mecanismo causal subjacente a essa conexão é amplamente desconhecido”, disse Mroj Alassaf, também pesquisador do centro que participou do estudo.

Embora a glia de insetos e a de humanos não sejam exatamente iguais, os especialistas explicam que em ambos os organismos as células que a compõem realizam essa função de eliminar detritos. “O que acontece nessas condições é que a glia se torna menos eficiente na limpeza desses detritos citotóxicos. E deixar esses resíduos para trás induz à inflamação, induz à morte celular secundária. Portanto, limpá-los é uma etapa crucial para remediar os danos”, continua Alassaf.

Num trabalho anterior feito pelo mesmo grupo, os cientistas já tinham observado o desenvolvimento da resistência à insulina em tecidos periféricos ao cérebro após somente duas semanas de uma dieta com 30% mais açúcar do que a média. No novo estudo, esse efeito foi analisado após três semanas.

Isso ocorre porque o excesso de açúcar leva o organismo a aumentar a produção de insulina, hormônio produzido no pâncreas que retira a glicose do sangue e a transporta para as células, onde é convertida em energia.

No entanto, esse estímulo além da conta, resultado de uma dieta rica em açúcares, cria uma resistência das células à ação da insulina. Além disso, pode sobrecarregar as células pancreáticas que produzem o hormônio, as levando à exaustão e afetando a produção do hormônio em primeiro lugar, quadro que caracteriza a diabetes tipo 2.

Por isso, estudos também têm se voltado para a relação entre a diabetes e as doenças neurodegenerativas. Já se sabe que pacientes diabéticos têm um risco aumentado para desenvolver demência, mas um trabalho apresentado no mês passado por pesquisadores da Universidade Texas A&M identificou essa relação em nível molecular.

Em uma análise com camundongos, eles observaram que o excesso de açúcar suprime a expressão de uma proteína chamada Jak3. Consequentemente, isso levou a uma cascata de inflamação que começou no intestino, passou pelo fígado e chegou ao cérebro.

Outro trabalho, de pesquisadores do Imperial College de Londres, em 2021, analisou dados de 227 mil pessoas com diabetes tipo 2 e observou que cerca de 10% desenvolveram demência num período de 20 anos de acompanhamento.

Eles identificaram que os níveis elevados de açúcar no sangue, junto com um aumento da pressão arterial e do colesterol, danificam os vasos sanguíneos. Como consequência, podem levar a problemas como ataques cardíacos e derrames, que também afetam a saúde do cérebro. Muitos casos de demência, por exemplo, são chamados de vasculares, por serem decorrentes de um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Leonidas Amorim
Leonidas Amorimhttps://portalcidadeluz.com.br
Acompanhe nossa coluna no Portal Cidade Luz e fique por dentro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

No Rio Grande do Sul, ciclone extratropical deve levar mais chuva e ventos fortes ao estado

Defesa Civil emitiu alerta para possibilidade de chuvas intensas em Porto Alegre nesta segunda Um ciclone extratropical vai começar a...

Uso de inteligência artificial e vaquinhas online falsas estão sendo usadas por golpistas para lucrar no RS

Em Santa Catarina, um adolescente foi alvo de um operação. As investigações apontam que ele criava vaquinhas virtuais, supostamente...

Alexandre Moraes nega recurso de Bolsonaro contra inelegibilidade

Ex-presidente foi condenado pelo TSE por abuso político e econômico O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes,...

UNIEG celebra o Dia do Evangélico em Guadalupe com inspiradora pregação do Preletor Wesllei Nogueira e a presença de autoridades municipais

Evangélicos, membros da União das Igrejas Evangélicas de Guadalupe e autoridades se uniram para celebrar a data comemorativa, no...
spot_img

Prefeito Antônio Reis recebe comenda da Ordem do Mérito Comercial Marquês de Paranaguá

A concessão da Ordem do Mérito Comercial Marquês de Paranaguá é um reconhecimento mais do que merecido pelo trabalho...

Nomofobia: o medo de ficar sem celular e seus efeitos em crianças e adolescentes

O transtorno pode afetar principalmente crianças e adolescentes. Muitas pessoas extrapolam o tempo de uso dos celulares e quando ficam...
spot_img

Posts Recomendados