Escolas que fizeram restrição do uso de celular melhoram o desempenho dos alunos

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Na Inglaterra, escolas que baniram os celulares, nas salas de aula, tiveram melhores resultados em exames nacionais de ensino

O pequeno Jacob Pike tem 12 anos e faz parte da estatística inglesa de que 97% dos pré-adolescentes, nessa idade, já possuem um smartphone. Por outro lado, o uso não ocorre em todo lugar. Isso porque, na escola que ele frequenta, é proibido, assim como ocorre em várias outras instituições educacionais.

“Colocamos o celular num armário. Só o pegamos na saída, depois da aula (Jacob Pike)”

E os números embasam a decisão. As escolas que baniram os celulares, em salas de aula, tiveram melhores resultados em exames nacionais de ensino.

Divulgação

Argumentos dos professores

A perda de foco dos alunos, a exposição a conteúdos sexuais e violentos e o aumento de casos de bullying on-line são outros motivos citados pelos professores. Tom, pai do Jacob, apoia a medida da escola e ressalta que, ainda assim, continua em contato com o filho durante o dia.

“Eu acho ótimo eles não terem acesso ao celular na aula. Eles se concentram mais. O mais importante, para a gente, é saberem onde estão. Se quiserem ver os amigos, a gente marca, mas depois da aula”, considerou Tom Pike.

Debate global

Este é um debate global. Diante das muitas evidências dos malefícios do uso de celulares em escolas e o impacto em crianças e adolescentes, diversos países caminham no sentido da proibição ou restrição no ambiente educacional.

Na Inglaterra, o debate envolve instituições de ensino, pais, governo e as empresas de tecnologia. As plataformas são cobradas, cada vez mais, a tomarem medidas para tornar o ambiente on-line mais seguro.

Tema no Brasil

No Brasil, existe o “Movimento Desconecta”, que estimula famílias a fazerem um grande acordo para não dar um smartphone aos filhos antes dos 14 anos, além de incentivar que os pais só liberem o acesso às redes sociais após os 16 anos.

Um levantamento do SUS mostrou que, no ano passado, a incidência de ansiedade entre crianças superou a de adultos pela primeira vez. Entre as causas está o uso excessivo dos smartphones.

Leonidas Amorim
Leonidas Amorimhttps://portalcidadeluz.com.br
Acompanhe nossa coluna no Portal Cidade Luz e fique por dentro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

Nova Caderneta da Criança atualiza teste para detecção de autismo

A nova edição da Caderneta da Criança – Passaporte da Cidadania fornece um teste para detecção precoce de risco...

Médico do IML de Floriano é investigado pelo Ministério Público

O procedimento preparatório de inquérito civil foi instaurado pela promotora Ana Sobreira Botelho Moreira em 12 de junho deste...

Assembleia pede explicação à UFPI sobre demora para homologar resultado de eleição

Demora do reconhecimento do resultado da eleição para reitor preocupa presidente da Assembleia Legislativa, Franzé Silva. O presidente da Assembleia...

Cigarros eletrônicos ‘Vapes’ provocam seis vezes mais intoxicação por nicotina que o cigarro comum

Atualmente, 3% da população do Brasil utiliza cigarros eletrônicos O cigarro eletrônico, conhecido como vape, provoca até seis vezes mais...
spot_img

Antônio Reis assina ordens de serviço para construção de praça e melhorias no aterro sanitário de Floriano

"Essas obras são de suma importância para a população florianense, que receberá mais um espaço de lazer e convivência",...

Governo Lula não vai apoiar mudanças na lei do aborto, diz ministro Padilha

Em visita a Minas Gerais, o ministro disse que o governo vai trabalhar para que o PL não seja...
spot_img

Posts Recomendados