Faustão confirma autenticidade das mensagens de Moro e Dallagnol

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

O apresentador foi citado em uma das conversas como tendo dado uma dica para os investigadores da Lava Jato.

A Revista Veja e o site The Intercept Brasil fizeram uma parceria e divulgaram novas análises e partes das conversas de Moro no Telegram nesta sexta-feira (05). Os novos diálogos revelados mostram que o ex-juiz e atual ministro de Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, relatou ao coordenador da força-tarefa da Lava Jato, Deltan Dallagnol, um encontro com o apresentador Fausto Silva, da TV Globo. 

Reprodução/VEJA

De acordo com Faustão, não há novidade na conversa divulgada e que são coisas que ele fala em seu programa toda semana há mais de 30 anos.

Na ocasião, em um diálogo registrado pelo Telegram no dia 7 de maio de 2016, Moro destaca que o apresentador da TV Globo sugeriu que os integrantes da operação mudassem a linguagem “para todo mundo entender”.

“Ele [Fausto Silva] disse que vcs nas entrevistas ou nas coletivas precisam usar uma linguagem mais simples. Para todo mundo entender. Para o povão. Eu disse que transmitiria o recado. Conselho de quem está a (sic) 28/anos na TV. Pensem nisso”, escreveu Moro.

Procurado pela Veja e questionado sobre a autenticidade das mensagens, o apresentador confirmou e disse que realmente aconteceu aquilo que está transcrito nas mensagens. 

Para o site Pragmatismo Político, a afirmação de Faustão derruba a tese — defendida pelo próprio Moro — segundo a qual as “mensagens podem ser falsas ou foram parcialmente adulteradas”.

A reportagem da Veja analisou 649 551 mensagens. 

Segundo a reportagem, o atual ministro Sergio Moro, fora dos autos — e dentro do Telegram –, pediu à acusação que incluísse provas nos processos que chegariam depois às suas mãos, mandou acelerar ou retardar operações e fez pressão para que determinadas delações não andassem.

Os diálogos também revelam que Sergio Moro comportou-se como chefe do Ministério Público Federal, posição incompatível com a neutralidade exigida de um magistrado. Na privacidade dos chats, o ex-juiz revisou peças dos procuradores e até dava broncas neles.

A reportagem da Veja pode ser conferida aqui.

Com informações de Veja e Pragmatismo Político

Leonidas Amorim
Leonidas Amorimhttps://portalcidadeluz.com.br
Acompanhe nossa coluna no Portal Cidade Luz e fique por dentro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

Em crise na gestão, Doutor Pessoa busca ampliar base e é rejeitado

O prefeito de Teresina busca a reeleição, mas ainda não encontrou seu candidato a vice. Mesmo estando no comando do...

Nova Caderneta da Criança atualiza teste para detecção de autismo

A nova edição da Caderneta da Criança – Passaporte da Cidadania fornece um teste para detecção precoce de risco...

Médico do IML de Floriano é investigado pelo Ministério Público

O procedimento preparatório de inquérito civil foi instaurado pela promotora Ana Sobreira Botelho Moreira em 12 de junho deste...

Assembleia pede explicação à UFPI sobre demora para homologar resultado de eleição

Demora do reconhecimento do resultado da eleição para reitor preocupa presidente da Assembleia Legislativa, Franzé Silva. O presidente da Assembleia...
spot_img

Cigarros eletrônicos ‘Vapes’ provocam seis vezes mais intoxicação por nicotina que o cigarro comum

Atualmente, 3% da população do Brasil utiliza cigarros eletrônicos O cigarro eletrônico, conhecido como vape, provoca até seis vezes mais...

Antônio Reis assina ordens de serviço para construção de praça e melhorias no aterro sanitário de Floriano

"Essas obras são de suma importância para a população florianense, que receberá mais um espaço de lazer e convivência",...
spot_img

Posts Recomendados