No Junho Vermelho, Hemopi incentiva a importância da doação de sangue; veja requisitos

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

O principal objetivo é aumentar os números de doações voluntárias de sangue em todo o país, bem como, incentivar as pessoas a doarem.

Junho é o mês escolhido para incentivar a doação voluntária de sangue. Durante todo o período, o movimento Junho Vermelho tem como objetivo conscientizar sobre a importância de doar sangue com frequência. Toda hemorrede nacional está mobilizada nesta causa.

Um suprimento adequado de sangue só pode ser garantido por meio de doações regulares e voluntárias. Por isso, em 2005, foi criado um dia especial para agradecer aos doadores e incentivar mais pessoas a doar sangue de forma voluntária. A data de 14 de junho foi instituída em homenagem ao nascimento de Karl Landsteiner, imunologista austríaco que descobriu o fator Rh e as várias diferenças entre os tipos sanguíneos.

O principal objetivo do Junho Vermelho é aumentar os números de doações voluntárias de sangue em todo o país, bem como, incentivar as pessoas a doarem regularmente e deixarem o legado da solidariedade, da empatia e do amor ao próximo se perpetuar por meio das gerações.

“É um momento de conscientização, já que o sangue é insubstituível e não é produzido artificialmente. E também de celebrar os doadores que, de geração em geração, vêm salvando vidas de forma voluntária e solidária”, ressalta o diretor do Hemopi, Rafael Alencar.

O Hemopi tem mobilizado instituições públicas e privadas para trazer mais doadores às unidades de coleta de Teresina, Parnaíba, Picos e Floriano. “O Junho Vermelho atrai muitos parceiros ao Hemopi, que junto com os doadores voluntários que vêm naturalmente nesse período, ajudam a reforçar o nosso estoque em todas as unidades. Lembrando que o Junho Vermelho antecede o período de férias, onde há uma baixa no volume de doações. Essas parcerias são essenciais também por esse motivo”, explica a supervisora de captação de doadores do Hemopi, Susanne Rocha.

A estudante universitária Wellen Carolyna doou sangue pela primeira vez aos 18 anos, em uma ação promovida pela faculdade em parceria com o Centro de Hematologia e Hemoterapia do Piauí (Hemopi). “Comecei a doar por causa de um projeto na faculdade e acabei tomando gosto. Eu já pensava em ser doadora, e sempre que eu posso vir, estou aqui no Hemopi. E depois da primeira doação eu fui pesquisar mais sobre o que acontece com o sangue doado e descobri que uma bolsa ajuda mais de uma pessoa”.

Em 2023, durante o Junho Vermelho, mais de 6.000 doadores compareceram às unidades do Hemopi o que gerou um total de 4.641 doações de sangue efetivadas. “A nossa meta é atingir 4.000 doações, mas nos últimos anos temos ultrapassado essa marca. É um período muito aguardado pelos doadores”, diz Susanne Rocha.

O Hemopi possui quatro unidades de coleta no Piauí – Teresina, Parnaíba, Picos e Floriano – responsáveis por abastecer toda a rede pública hospitalar e parte da rede privada do Estado.

Hemocentros Unidos
Por meio do Hemocentros Unidos, grupo criado pelo Instituto Pró-Hemo – IPH, mais de 20 hemocentros públicos brasileiros, entre eles o Hemopi, e sete hemonúcleos do país se uniram em uma campanha que vai durar todo o mês de junho. A ideia é divulgar peças publicitárias – digitais e físicas- para ações nos hemocentros.

“Para nós do Instituto, apoiadores do Grupo Hemocentros Unidos, é muito importante esta unidade entre a hemorrede pública nacional. A ideia é realmente unificar a linguagem e chamar, cada vez mais, pessoas para serem doadoras voluntárias de sangue. A participação de mais de 20 hemocentros nos deixa muito orgulhosos e felizes em saber que a campanha está quebrando fronteiras e atingindo basicamente todas as regiões do país”, afirma Evandro Castro e Silva, diretor do Instituto Pró-Hemo – IPH.

Os principais pré-requisitos para ser doador de sangue são:
-Levar documento de identidade com foto e válido em todo o território nacional;

-Estar em boas condições de saúde;

  • Ter entre 16 a 69 anos de idade. Menores de 18 anos precisam de autorização do responsável legal. Para doar até os 69 anos é preciso ter feito pelo menos uma doação até os 60 anos;
  • Pesar acima de 50 kg;
  • Não estar em jejum;
  • Não ter feito uso de bebida alcoólica nas últimas 12 horas, nem fumado 2 horas antes de vir doar.
Gleison Fernandes
Gleison Fernandeshttps://portalcidadeluz.com.br
Editor Chefe do Portal Cidade Luz

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

Nova Caderneta da Criança atualiza teste para detecção de autismo

A nova edição da Caderneta da Criança – Passaporte da Cidadania fornece um teste para detecção precoce de risco...

Médico do IML de Floriano é investigado pelo Ministério Público

O procedimento preparatório de inquérito civil foi instaurado pela promotora Ana Sobreira Botelho Moreira em 12 de junho deste...

Assembleia pede explicação à UFPI sobre demora para homologar resultado de eleição

Demora do reconhecimento do resultado da eleição para reitor preocupa presidente da Assembleia Legislativa, Franzé Silva. O presidente da Assembleia...

Cigarros eletrônicos ‘Vapes’ provocam seis vezes mais intoxicação por nicotina que o cigarro comum

Atualmente, 3% da população do Brasil utiliza cigarros eletrônicos O cigarro eletrônico, conhecido como vape, provoca até seis vezes mais...
spot_img

Antônio Reis assina ordens de serviço para construção de praça e melhorias no aterro sanitário de Floriano

"Essas obras são de suma importância para a população florianense, que receberá mais um espaço de lazer e convivência",...

Governo Lula não vai apoiar mudanças na lei do aborto, diz ministro Padilha

Em visita a Minas Gerais, o ministro disse que o governo vai trabalhar para que o PL não seja...
spot_img

Posts Recomendados