Pesquisa PoderData aponta que Lula vence Bolsonaro entre beneficiários do Auxílio Brasil (58% a 25%)

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

O benefício é uma das principais apostas do presidente Jair Bolsonaro (PL) para a reeleição, mas apenas um em cada quatro eleitores assistidos pelo programa declara voto no chefe do Executivo.

Pesquisa PoderData divulgada nesta quinta-feira, 4, mostra que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem 58% da preferência dos eleitores que recebem o Auxílio Brasil. O benefício é uma das principais apostas do presidente Jair Bolsonaro (PL) para a reeleição, mas apenas um em cada quatro eleitores assistidos pelo programa declara voto no chefe do Executivo.

Foto: Ricardo StuCkert/PT

Como mostrou o Estadão, o presidente Bolsonaro deseja imprimir melhor sua marca no benefício, ainda frequentemente associado ao antigo Bolsa Família. Contudo, em vez de crescer entre os que recebem o auxílio, o chefe do Executivo caiu nos últimos meses, de acordo com o levantamento. Na primeira semana de julho, ele tinha 37% das intenções de voto nesse segmento; na segunda quinzena daquele mês, 32%; e agora, 25%. Lula, por outro lado, cresceu: pontuou 43%, 52% e 58% nos mesmos períodos, respectivamente.

Em segundo lugar nas pesquisas, Bolsonaro sonha com uma virada e engordou o valor do auxílio de R$ 400 para R$ 600. A mudança foi possível graças à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) conhecida como “Kamikaze”, que turbinou benefícios sociais às vésperas da eleição. O novo valor será pago somente até dezembro de 2022. Agora, o presidente foi além e sancionou o texto que permite que os beneficiários contraiam empréstimo consignado com a renda do programa.

Em entrevistas recentes, Lula tem “aconselhado” os eleitores a usufruírem do benefício enquanto dure este governo. “Pegue e coma, ou o (Paulo) Guedes toma, e depois uma banana”, ele disse ao UOL no dia 27 de julho.

Na mesma ocasião, Lula criticou que a mudança promovida pela PEC valha só até dezembro e afirmou que pretende manter o valor máximo do benefício em R$ 600 caso vença a eleição. Segundo o petista, foi “uma besteira” mudar o nome do antigo Bolsa Família, marca da era PT. Tanto ele quanto Bolsonaro veem no programa uma oportunidade para aumentar a estima entre os eleitores, embora especialistas em contas públicas temam aumento do rombo fiscal em decorrência da medida.

POR ESTADAO CONTEUDO

Leonidas Amorim
Leonidas Amorimhttps://portalcidadeluz.com.br
Acompanhe nossa coluna no Portal Cidade Luz e fique por dentro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

Procurador pede ao TRE que suspenda registro do União Brasil; partido que Silvio Mendes disputa o Governo do Piauí

A assessoria jurídica da União Brasil divulgou nota. O procurador Regional Eleitoral, Marco Túlio Lustosa, ingressou com ação requerendo a...

Prefeitura de Floriano discute programação do Bicentenário da Independência e 7 de setembro

Na tarde da segunda-feira (8), o prefeito Antônio Reis Neto, reuniu, em seu gabinete, uma equipe para discutir a...

Justiça em SP condena Facebook a indenizar brasileiro que teve WhatsApp clonado

O Facebook foi condenado a pagar R$ 4.000 por danos a um usuário do WhatsApp que teve o aplicativo...

Carta pela democracia é oficialmente manifesto pró-Lula, diz Ministro Ciro Nogueira

Ministro da Casa Civil de Bolsonaro comentou o fato de o petista ter assinado o manifesto na segunda (8);...
spot_img

Candidata Gracinha Mão Santa diz que tem R$ 250 mil guardados em casa

No total, a candidata a deputa estadual declarou à Justiça Eleitoral possuir bens no valor de R$ 426 mil. Candidata...

WhatsApp começa a permitir “saída silenciosa” de grupos e esconder que está ‘online; veja mais

Novo recurso permite que apenas os administradores recebam notificação da saída. Também será possível esconder o 'online' ao abrir...
spot_img

Posts Recomendados