Se o personagem é bom, vou e faço, diz Marcos Palmeira sobre José Inocêncio de ‘Renascer’

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Após o sucesso de José Leôncio em “Pantanal”, o ator entra em cena como José Inocêncio na segunda fase de “Renascer”

Pela segunda vez consecutiva e em menos de dois anos, Marcos Palmeira, 60, é o protagonista de uma novela adaptada do texto original de Benedito Ruy Barbosa pelo neto dele, Bruno Luperi. Após o sucesso de José Leôncio em “Pantanal”, Marquinhos, como é chamado nos bastidores, entra em cena como José Inocêncio na segunda fase de “Renascer”.

Apesar das semelhanças entre as duas tramas rurais, ele diz não ver problema em voltar a interpretar um “coronel”. “Quando comecei a carreira na TV era o playboy carioca, me chamavam muito para esse tipo de papel. Depois, as pessoas diziam para eu ter cuidado para não ficar estigmatizado fazendo personagens rurais, que também fiz muito. Aí vieram os delegados”, comenta, rindo das lembranças. “O personagem é bom? Posso colaborar com ele? Vou lá e faço.”

PAULO BELOTE/TV GLOBO

O ator concorda que os dois “Zés” têm pontos em comum. “Eles andam muito próximos em suas essências: são pais de filhos que enjeitam, homens com amores não correspondidos… Estou muito envolvido”, pontua ator, que elege José Inocêncio como o mais próximo dele. “Ele bota a mão na massa, tem a mesma origem que eu, de uma região cacaueira, do Sul do Bahia. Não nasci lá, mas me criei na fazenda, nesse interior do Brasil, e tenho uma relação profunda com o cacau”, afirma.

Palmeira só ressalva que é “muito louco” ver outro ator dando vida a João Pedro, seu personagem há 30 anos, vivido por Juan Paiva na nova versão. “Só Freud explica”, brinca. “O Antonio Fagundes [que protagonizou a primeira versão] tinha 43 anos quando fez o José Inocêncio, e eu tinha 30 quando fiz o João Pedro. O Juanzinho tem 25 anos. Ele é um grande parceiro de cena”, elogia. “[Mas], às vezes, olho para ele em uma cena e penso que já fiz aquilo ali, é uma viagem no tempo, algo inexplicável, é interessante reviver tudo isso.”

O ator também comentou o sincretismo religioso de seu personagem, que diz ter o “corpo fechado” por causa dos pactos com Deus, o Diabo e um Jequitibá. “Acredito em energia, que vibramos o tempo todo e recebemos o que damos. Acredito nessa troca”, comenta. “Não tenho uma religião, mas respeito todas elas. E o meu corpo é aberto para tudo, para a vida, não tenho compromisso com a eternidade, como dizia o meu avô.”

Leonidas Amorim
Leonidas Amorimhttps://portalcidadeluz.com.br
Acompanhe nossa coluna no Portal Cidade Luz e fique por dentro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

Censo Escolar mostra que ensino médio mantém os piores índices de repetência e abandono

Levantamento é o principal retrato da educação básica, formada por três etapas grandes etapas: educação infantil, ensino fundamental e...

Após maratona de shows no carnaval, Ivete Sangalo é internada com pneumonia

Anúncio foi feito pela própria artista nas redes sociais, nesta quinta-feira (22). Cantora cancelou participação no 'Navio da Xuxa'...

EUA aprovam nova terapia contra câncer; Tratamento pode levar 8 semanas

A nova terapia contra o melanoma utiliza as células do próprio paciente para combater o câncer Viva a ciência! O...

Daniel Alves pode ser expulso para cumprir pena no Brasil; e ainda deixar a prisão em maio

Advogados espanhóis avisam. Pela condenação de estupro ser menor do que cinco anos, Daniel Alves pode ser expulso da...
spot_img

Bolsonaro não responde à Polícia Federal em depoimento sobre golpe de Estado

Ex-presidente ficou em silêncio O ex-presidente Jair Bolsonaro não respondeu aos questionamentos da Polícia Federal (PF), nesta quinta-feira (22), no...

Presidente da Câmara de Guadalupe anuncia início do ano legislativo com mensagem da prefeita Neidinha Lima e sessão ordinária no dia 26

O presidente da Câmara, vereador Dr. Dílson Barbosa Gomes, informou ao Portal Cidade Luz que as sessões legislativas terão...
spot_img

Posts Recomendados