Anvisa mantém máscara em voos e aeroportos e libera serviço de bordo

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Retomada do serviço de alimentação a bordo e uso da capacidade máxima dos ônibus que fazem transporte interno começam a valer no dia 22 de maio.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu, nesta quinta-feira (12), em reunião pública ordinária da Diretoria Colegiada, pela modificação da norma que trata das medidas a serem adotadas em aeroportos e aeronaves devido à Covid-19.

O uso de máscaras de proteção facial permanece obrigatório, as flexibilizações incluem a retomada do serviço de alimentação a bordo, a permissão para retirada de máscara para alimentação e retorno do uso da capacidade máxima para transporte de passageiros nos espaços internos dos aeroportos. As medidas começam a valer no dia 22 de maio.

As mudanças alteram a resolução 456 de dezembro de 2020, de acordo com o atual cenário epidemiológico da doença no Brasil e no mundo.

A resolução trata de medidas como a obrigatoriedade do uso de máscaras em portos e aeroportos, o desembarque de passageiros por fileiras e estabelece políticas de limpeza e desinfecção de aeronaves e ônibus internos.

Em seu voto, o diretor Alex Campos, relator da matéria, destacou que “as flexibilizações só foram viáveis devido à manutenção do uso de máscaras de proteção individual nesses ambientes”.

O diretor afirmou, ainda, que “as medidas precisam ser paulatinas, os riscos precisam ser continuamente avaliados e sopesados. As camadas de proteção visam permitir o acompanhamento dos benefícios trazidos por novas medidas implementadas, assim como dos eventuais riscos associados”.

Imagem: Delta Air Lines

Recomendações

A Anvisa recomenda que os serviços de bordo sejam os mais breves possíveis, de forma a não prejudicar significativamente o uso de máscaras pelos viajantes.

Além disso, todos os resíduos sólidos gerados devem ser recolhidos o mais breve possível, com atenção especial aos objetos que possam entrar em contato direto ou indireto com a boca, como copos, pratos, garfos e outros.

A proposta deliberada permite a retomada da atividade habitual dos ônibus comumente utilizados para transporte de passageiros para embarque e desembarque de aeronaves localizadas na área remota.

As mudanças também retiram a regra que permitia procedimentos de limpeza e desinfecção somente com as aeronaves completamente vazias. Os procedimentos poderão ocorrer mesmo antes da finalização do desembarque de passageiros. Além disso, o distanciamento físico entre passageiros deve ser mantido sempre que possível.

A Anvisa também manteve o desembarque realizado por fileiras de modo a reduzir aglomerações no corredor da aeronave e os riscos de contégio. Também serão mantidos os avisos sonoros sobre a Covid-19, com ajustes ao cenário pandêmico atual.

Melhora do cenário epidemiológico

O relaxamento de algumas medidas era visto como natural pelo colegiado da Anvisa, em função da melhora no cenário epidemiológico do país. Como adiantado pela reportagem da CNN, nesta quarta-feira (11), o órgão sanitário já afirmava existir “a necessidade de modulação paulatina de alguns dispositivos normativos para que as medidas impostas em aeroportos e aeronaves fossem proporcionais ao risco atual” da Covid-19.

O diretor relator do processo, Alex Machado Campos, afirmou que as medidas serão flexibilizadas em consonância ao melhor cenário epidemiológico do país. No entanto, ele deixa claro que a desobrigação das máscaras será a “última etapa”.

“Aeronaves e aeroportos são locais com elevada contaminação, localidades que se constituem grandes aldeias globais. E, portanto, é justamente a continuidade do uso da máscara que sustenta esses possíveis avanços paulatinos. A máscara é a última etapa e não podemos abrir mão delas por agora”, disse Alex Campos.

A decisão da Anvisa acompanhará, apenas em partes, as determinações adotadas em aeroportos da Europa, que começam a valer nesta segunda-feira (16). Isso porque, além das medidas flexibilizadas pelo órgão sanitário brasileiro, a Agência Europeia para a Segurança da Aviação (Easa) e o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC) recomendaram a suspensão da obrigatoriedade de máscaras em voos e aeroportos da União Europeia.

Lucas Rocha e Lucas Janone da CNN

Leonidas Amorimhttps://portalcidadeluz.com.br
Acompanhe nossa coluna no Portal Cidade Luz e fique por dentro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

Promotor investiga patrocínio de R$ 8 milhões que ex-governador Wellington Dias liberou dos cofres públicos ao filme Mandu Ladino

O ex-governador Wellington Dias concedeu a liberação do orçamento em despacho no dia 16 de outubro de 2021. O promotor...

No Piauí, escolas estaduais voltam às aulas hoje e grevistas podem ter ponto cortado

Apesar do decreto, expedido na última quinta-feira, os professores prometem continuar mobilizados. O Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinte)...

Vídeo: mulher é agredida durante show de Gusttavo Lima em Brasília

Imagens mostram vítima no chão sendo agredida por outras duas mulheres durante evento no Mané Garrincha nesse sábado (21). Em...

Juiz determina citação para que empresa de Rafael Fonteles pague dívida superior a R$ 3 milhões de contribuições previdenciárias

R$ 3,048 milhões foram atualizados em 2021. A União Federal ingressou com uma ação judicial contra o Grupo Educacional CEV,...
spot_img

Ciro Nogueira direcionou emenda para comprar caminhão de lixo de amiga que frequenta seu gabinete

A cidade Brasileira no Piauí, com 8 mil habitantes recebeu veículo compactador comprado com emenda do chefe da Casa...

De responsabilidade do Governo do Estado, rodovia PI-231 está esburacada e motorista faz tapa-buraco manual

Insatisfeito, um motorista do município resolveu tapar os buracos manualmente utilizando uma pá. A insatisfação com a situação é...
spot_img

Posts Recomendados