Câmara aprova PEC da Reforma Eleitoral com volta das coligações

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Matéria segue para a análise em dois turnos do Senado Federal antes de ser promulgada.

A Câmara dos Deputados aprovou, na noite desta terça-feira (17), a proposta de emenda constitucional da Reforma Eleitoral em segundo turno. Agora, a matéria segue também para a análise em dois turnos do Senado Federal antes de ser promulgada. O texto ficou conhecida como PEC do Distritão, já que previa a adoção do sistema distrital (majoritário) para a eleição de parlamentares ao invés do que é hoje, proporcional.

No entanto, por acordo, o Distritão caiu ainda durante a votação em primeiro turno. Em troca, a matéria trouxe a volta das coligações, isso, quatro anos ser extinguida na reforma realizada em 2017. Assim, se aprovada no Senado como está, a PEC da Reforma Eleitoral trará de volta as coligações partidárias para as eleições proporcionais já a partir de 2022 para deputados federais, estaduais e vereadores.

Foto: Divulgação

Durante votação em segundo turno, um destaque que alterava a cláusula de barreira – dispositivo que restringe ou impede a atuação parlamentar de um partido que não alcança um percentual de votos – foi suprimido. Isso significa que terão acesso aos recursos do fundo partidário e à propaganda gratuita no rádio e na televisão os partidos políticos que tiverem elegido pelo menos 11 deputados federais distribuídos em pelo menos um terço das unidades da Federação; assim como é hoje. A proposta pretendia flexibilizar a cláusula de barreira ao possibilitar que as siglas elegessem os deputados ou cinco senadores. 

Entenda

A PEC determina ainda que os votos de candidatas femininas e negros sejam computados em dobro para fins de cálculo da distribuição do Fundo Partidário e do Fundo Eleitoral que ocorrerem entre 2022 e 2030. O texto fixa ainda em 100 mil o número de assinaturas para a apresentação de projetos de lei de origem popular. A PEC também altera a data de posse do presidente da República que, a partir de 2027, passaria a ser realizada em 5 de janeiro, e dos governadores e prefeitos, que seriam empossados em 6 de janeiro.

Por outro lado, caiu durante a aprovação em primeiro turno a proposta que pretendia acabar com o segundo turno nas eleições majoritárias no país. No modelo de voto preferencial proposto por Renata Abreu, o eleitor escolheria até cinco candidatos a presidente, governador ou prefeito, em ordem decrescente de preferência. Seria considerado eleito o candidato que obtivesse a maioria absoluta das primeiras escolhas do eleitor, não computados os votos em branco e os nulos.

A proposta original, porém, de autoria do deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), previa apenas o adiamento das eleições em datas próximas a feriados. A justificativa é que a realização de eleições em datas muito próximas de feriados contribui para maior abstenção dos eleitores.

Larissa Rodrigues, da CNN, em Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

Procurador pede ao TRE que suspenda registro do União Brasil; partido que Silvio Mendes disputa o Governo do Piauí

A assessoria jurídica da União Brasil divulgou nota. O procurador Regional Eleitoral, Marco Túlio Lustosa, ingressou com ação requerendo a...

Prefeitura de Floriano discute programação do Bicentenário da Independência e 7 de setembro

Na tarde da segunda-feira (8), o prefeito Antônio Reis Neto, reuniu, em seu gabinete, uma equipe para discutir a...

Justiça em SP condena Facebook a indenizar brasileiro que teve WhatsApp clonado

O Facebook foi condenado a pagar R$ 4.000 por danos a um usuário do WhatsApp que teve o aplicativo...

Carta pela democracia é oficialmente manifesto pró-Lula, diz Ministro Ciro Nogueira

Ministro da Casa Civil de Bolsonaro comentou o fato de o petista ter assinado o manifesto na segunda (8);...
spot_img

Candidata Gracinha Mão Santa diz que tem R$ 250 mil guardados em casa

No total, a candidata a deputa estadual declarou à Justiça Eleitoral possuir bens no valor de R$ 426 mil. Candidata...

WhatsApp começa a permitir “saída silenciosa” de grupos e esconder que está ‘online; veja mais

Novo recurso permite que apenas os administradores recebam notificação da saída. Também será possível esconder o 'online' ao abrir...
spot_img

Posts Recomendados