Mãe que deu à luz no posto da PRF diz que não sabia da sua gravidez

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

A mãe que deu à luz em um posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no Piauí havia descoberto a gravidez há poucos dias e acreditava que daria à luz em outubro ou novembro.

Elane Bezerra, 31 anos, mora na zona Rural de Teresina, e com o parto inesperado precisa de ajuda com o enxoval. A bebê, que ainda não foi registrada e deve se chamar Ana Júlia, nasceu com 3.100 kg e 48 cm. As duas passam bem.

“Não sabia que estava grávida. Descobriu com cinco ou seis meses e achava que teria em novembro. A irmã dela improvisou umas roupinhas pra neném, pois ela não tem nada. Desde quando descobriu a gravidez só fez uma consulta e ia fazer a ultrassom pra descobrir o sexo amanhã. Só soube que era menina quando a policial tirou”, disse a cunhada Maria do Amparo.

Ana é a segunda filha de Elaine que já tem uma menina de 9 anos. As duas estão na maternidade do Dirceu e devem ter alta nesta sexta-feira (19).

Ao Cidadeverde.com, a mãe relatou que saiu de casa ao sentir dores “no pé da barriga”.

“Resolvi ir pra maternidade quando a dor apertou. Mandei meu marido ir chamar minhas irmãs e fomos no carro do meu pai. Minha irmã parou na PRF porque eu não aguentava mais de dor. Apertou mesmo”, disse a mãe que do enxoval tinha apenas fraldas descartáveis. Interessados em ajudar Ana podem ir diretamente na maternidade do Dirceu.

“QUERIA AGRADECER”

Elane Bezerra disse que não sabe quem foi a policial que fez seu parto, mas diz que o sentimento é de gratidão.

“Agradecer por ela ter me ajudado. Minha filha veio ao mundo com muita saúde. Se não fosse ela, não saberia nem mais o que fazer”, disse Bezerra.

“FOI EMOCIONANTE”

Se para Elane Bezerra o sentimento é de gratidão, para Luana Bandeira, policial rodoviária federal que fez o parto, o sentimento é de emoção. Na corporação há quase duas décadas, ela disse que “deu um frio na barriga”, mas na hora só pensou em ajudá-la.

“Foi uma situação completamente inusitada. Geralmente somos acionados na madrugada para atender acidente, ocorrência criminal. Dessa vez foi uma situação diferente e uma honra ter participado.Antes do parto observamos se, de fato, estava tendo contrações, perguntei se era o primeiro filho, se sabia o sexo, se sabia se estava encaixado. Fui tentando acalmá-la. Ela estava muito nervosa porque ela não queria ter o filho num banco de trás do carro. Mas eu a acalmei e disse que o Samu estava chegando. Aguardei a criança sair e foi uma emoção. Esperei a criança chorar, verifiquei os primeiros sinais, coloquei a criança sobre a mãe, estimulei a succção no peito até a chegada do Samu”, disse a PRF.

Luana Bandeira- que é mãe de dois filhos- conta que o fato de ser mulher acalmou Elane. O parto de Ana foi o segundo realizado pela PRF que é biológa por formação.

“Minha formação não é na área de Saúde, mas a PRF nos dá treinamento no curso de formação e passamos também por cursos de atualização. Sei que qualquer colega PRF também estaria preparado. Mas o fato de eu ser mulher, a acalmou. Disse pra ela que também tenho dois filhos e acho que isso teve um valor diferente pra aquela situação. Eu senti que ela se sentiu mais a vontade”, concluiu Bandeira que diz que pretende visitar a pequena Ana Júlia.

Com informações do Cidade Verde

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

Senado aprova projeto que renova cotas raciais em concursos públicos

Texto precisa ser aprovado pelos deputados federais até junho O Senado aprovou nesta quarta-feira (22) a reserva de vagas em concursos...

STF reconhece assédio judicial a jornalistas e veículos de imprensa

Decisão foi tomada por unanimidade Por unanimidade, o Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu nesta quarta-feira (22) o chamado "assédio judicial"...

Deputada Ana Paula quer explicações sobre fechamento de campus da Uespi

O Plenário da Assembleia Legislativa do Piauí aprovou, por unanimidade, o Requerimento 150/24, da deputada Ana Paula (MDB), solicitando...

Concurso da Polícia Militar: Alepi autoriza Governo do Estado a convocar novos candidatos

A proposta determina a contratação de mais policiais e mudanças no Estatuto da PM foram aprovadas em 1ª e...
spot_img

Projeto que prevê castração química para estupradores é aprovado no Senado

O tratamento químico hormonal deve ser voluntário; PL foi aprovado pela CCJ e segue para à Câmara dos Deputados. A...

Novo DPVAT: seguro obrigatório voltará a ser pago em 2025

Serão garantidos os custos de atendimentos médicos, fisioterapia, medicamentos, equipamentos ortopédicos, que não sejam disponibilizados pelo SUS. O pagamento de...
spot_img

Posts Recomendados