Cidades Promotor denuncia prefeito Wagner Coelho, por 'furar fila' da...

Promotor denuncia prefeito Wagner Coelho, por ‘furar fila’ da vacina em Uruçuí

-

Na mesma ação também foi denunciada a secretária municipal de Saúde, Lis Martins Estrela.

Por ter furado a fila da vacinação contra o novo coronavírus, o prefeito de Uruçuí, Francisco Wagner Pires Coelho, mais conhecido como “Dr. Wagner”, foi denunciado pelo Ministério Público do Estado em ação civil pública para imposição de sanção por ato de improbidade administrativa e condenação por dano moral.

Prefeito de Uruçuí, Wagner Coelho

De acordo com o promotor Edgar dos Santos Bandeira Filho, da 2ª Promotoria de Justiça de Uruçuí, o município recebeu 115 doses da vacina contra o coronavírus, tendo a Secretaria Estadual de Saúde orientado que deveriam ser utilizadas para vacinar profissionais de saúde, idosos acima de 60 anos, portadores de deficiência com mais de 18 anos e indígenas aldeados em terras demarcadas.

Narra que, ao invés de respeitar os critérios técnicos estabelecidos, Dr. Wagner e Lis Estrela, decidiram que o próprio prefeito deveria ser vacinado, em detrimento inclusive de profissionais da saúde que deveriam e mereciam receber a vacina em primeiro lugar.

Para o promotor, a conduta do prefeito e da secretária viola o princípio da moralidade administrativa, pois demonstra a ausência do respeito mínimo pelo interesse público e pela população, além de afrontar o princípio da impessoalidade, já que desprezaram os critérios técnico/científicos previamente definidos, para escolher beneficiar o Prefeito Municipal. Configurado, pois, o ato de improbidade administrativa, previsto no Art. 11 da Lei n° 8.429/1992.

Destaca que os fatos ganharam repercussão nacional, com o prefeito, juntamente com outros agentes públicos “igualmente despreocupados com a população”, sendo chamados de “fura-fila”, situação que dá a dimensão do constrangimento e humilhação a qual foi submetida a população de Uruçuí, “que, além de trapaceada pelo próprio Prefeito, teve sua honradez pública manchada em âmbito nacional”.

A ação pede a condenação do prefeito e da secretária nas sanções previstas na Lei de Improbidade Administrativa e a condenação do município ao pagamento de indenização por dano moral coletivo em valor não inferior a R$ 100.000,00 (cem mil reais).

A ação foi ajuizada em 29 de janeiro de 2021, e aguarda recebimento pelo Juízo da Comarca de Uruçuí.

Com informações do GP1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

OMS diz que situação do Brasil é “muito preocupante” e requer medidas agressivas

"Não é hora do país relaxar, a variante brasileira preocupa e pode afetar toda a América Latina" disse Tedros...

Aulas da Rede Municipal de Guadalupe terão início na próxima segunda-feira, 08 de março.

A secretaria Lorena Rocha informou que os alunos receberão o material para estudo por plataformas digitais e as famílias...

Ministério Público pede à Justiça que Flordelis e outros réus sejam levados a júri popular

Flordelis é suspeita de ter arquitetado o plano, convencer pessoas de práticas reiteradas de crimes, ocultar provas, além de...

Prefeitura de Guadalupe publica novo decreto com medidas emergenciais válidas até 15 de março, porém, houve alterações para os finais de semana

Entre as mudanças, toque de recolher mais cedo e aos finais de semana os postos de combustíveis poderão funcionar...

Supremo Tribunal Federal determina que Ministério da Saúde reative 278 leitos de UTIs no Piauí

O Piauí registra aumento na média móvel de novos casos e óbitos. A internação em leitos de UTI ultrapassa...

Compositor pede prisão preventiva do cantor Wesley Safadão por plágio

Segundo o colunista Leo Dias, além de o cantor estar sendo processado pelo suposto plágio da faixa Vaqueirinha Maltrata...

Posts Recomendados