Cidades STF vai decidir sobre mudança em concursos por crença...

STF vai decidir sobre mudança em concursos por crença religiosa

-

A discussão envolve a participação dos adventistas nas etapas de seleção, cuja crença estabelece que o dia de sábado deve ser guardado.

O Supremo Tribunal Federal deve concluir nesta quinta-feira (26) um julgamento no qual a Corte vai decidir se provas de concursos públicos podem ser remarcadas por motivos de crença religiosa.

Foto: Canal de notícias

A discussão envolve a participação dos adventistas nas etapas de seleção, cuja crença estabelece que o dia de sábado deve ser guardado.

Até o momento, a maioria dos ministros entendeu que a administração pública pode avaliar a realização de provas de concursos em datas que conciliem a liberdade de crença com o interesse público.

Entretanto, ainda não há consenso sobre a garantia de direito constitucional para obrigar as bancas de avaliação a realizarem a mudança de data.

O julgamento teve início na semana passada com os votos dos relatores das ações, ministros Dias Toffoli e Edson Fachin, que divergiram sobre o tema. Até o momento, há três correntes de entendimento:

Dias Toffoli e Nunes Marques: não impor ao Estado a obrigação de disponibilizar diferenciação para candidatos e servidores em razão da crença religiosa;

Edson Fachin: o Estado deve oferecer condições alternativas para que seja assegurada a liberdade religiosa ao candidato e ao servidor;

Moraes, Barroso, Rosa Weber e Cármen Lúcia: há a possibilidade de alteração de data e horário, desde que observados limites, tais como razoabilidade, isonomia e não gerar ônus à Administração Pública.

O ministro Ricardo Lewandowski concordou em parte com Toffoli, afirmando que não há o direito à alteração da data, mas que a administração, observando a razoabilidade, poderá avaliar a possibilidade da realização de concurso com base no princípio da isonomia e do interesse público.

Na sessão desta quinta, os ministros Gilmar Mendes, Marco Aurélio e Luiz Fux serão os últimos a votar sobre a questão.

Ações

Em uma das ações, a União questiona decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), que entendeu que um candidato adventista poderia realizar a avaliação em data, horário e local diverso do estabelecido no calendário do concurso público, desde que não houvesse mudança no cronograma do certame nem prejuízo à atividade administrativa.

O outro recurso, por sua vez, foi apresentado contra decisão do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) que manteve sentença em mandado de segurança apresentado por uma professora adventista reprovada no estágio probatório por descumprir o dever de assiduidade, ao não trabalhar entre o pôr do sol das sextas-feiras e o dos sábados.

Com informações da CNN Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

20 milhões de pessoas ainda terão saque do auxílio emergencial em janeiro

Calendário de pagamento segue até 27/01, serão pagas parcelas do auxílio original, de R$ 600, e do auxílio extensão,...

Ônibus que saiu do Piauí sofre acidente na Bahia e causa a morte de 05 pessoas

O fato ocorreu na madrugada desta sexta-feira (15), na BR-135, altura da cidade de Barreiras. Cinco pessoas morreram e ao...

Europa ultrapassa os 30 milhões de casos da Covid-19

As mortes pelo novo coronavírus já estão se aproximando dos dois milhões no continente. A Europa ultrapassou nesta sexta-feira, 15,...

Capital Mineira endurece novamente quarentena, mas comerciantes ameaçam boicotar medidas

O prefeito de BH cumpriu a promessa de fechar novamente o comércio após a população não ter respeitado as...

Janeiro Branco pede atenção para o aumento do consumo de álcool

O mês foi escolhido pela OMS para alertar para a saúde mental. No mês escolhido pela Organização Mundial da Saúde...

Whindersson Nunes mobiliza famosos para mandar oxigênio para Manaus

Whindersson está mobilizando os amigos para ajudar na crise provocada pela falta de oxigênio nas unidades de saúde que...

Posts Recomendados