TSE quer criar 549 cargos ao custo de quase R$ 110 milhões

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Projeto foi enviado pela Corte para a Câmara dos Deputados; texto aponta falta de pessoal diante do aumento do eleitorado, da quantidade de candidaturas e de processos, ‘associada a uma necessidade crescente de se assegurar a segurança das urnas e o combate às fake news’

A Câmara dos Deputados analisará na volta do recesso um projeto de lei do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que pede a criação de 549 vagas para a Justiça Eleitoral de todo o País. São 474 cargos por meio de concurso público (analista e técnico judiciário) e 75 comissionados ao custo anual de R$ 109,3 milhões. Há ainda previsão de 245 funções comissionadas.

O Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF) é o que mais receberá novos funcionários, caso o projeto passe pelo Congresso. Na capital federal, a proposta prevê 95 vagas (89 efetivos e seis comissionados). Na sequência, o próprio TSE diz precisar de 61 cargos novos (53 preenchidos por meio de concurso e oito por comissão).

Foto: Reprodução/O Brasilianista

“A proposta em questão destina-se a suprir a necessidade de pessoal frente ao aumento do eleitorado, da quantidade de candidaturas, de processos judiciais e extrajudiciais a cada eleição brasileira, associada a uma necessidade crescente de se assegurar a segurança das urnas, o combate às fake news, o cumprimento de normas e orientações emanadas do Conselho Nacional de Justiça, CNJ, entre outros, e de se manter a qualidade dos serviços prestados à sociedade”, diz trecho da justificativa do texto apresentado à Câmara.

O TSE aponta ainda na justificativa o aumento no pedido de registro de candidaturas entre os pleitos de 2010 e 2022, que saltou de 22.537 solicitações para 29.262 (29,8%). “Além disso, houve o aumento das demais demandas processuais ao longo dos anos, tendo os órgãos eleitorais envidado esforços para suportar esse ampliação, com a implementação de mutirões e criação de forças-tarefas, as quais são ferramentas paliativas, sendo mantidas as dificuldades em anos eleitorais, com prazo certo para finalização, como nos casos de registros de candidaturas, representações com pedido de direito de resposta, instruções eleitorais, apurações e consultas”, afirma outro trecho do documento.

Leonidas Amorim
Leonidas Amorimhttps://portalcidadeluz.com.br
Acompanhe nossa coluna no Portal Cidade Luz e fique por dentro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

Censo Escolar mostra que ensino médio mantém os piores índices de repetência e abandono

Levantamento é o principal retrato da educação básica, formada por três etapas grandes etapas: educação infantil, ensino fundamental e...

Após maratona de shows no carnaval, Ivete Sangalo é internada com pneumonia

Anúncio foi feito pela própria artista nas redes sociais, nesta quinta-feira (22). Cantora cancelou participação no 'Navio da Xuxa'...

EUA aprovam nova terapia contra câncer; Tratamento pode levar 8 semanas

A nova terapia contra o melanoma utiliza as células do próprio paciente para combater o câncer Viva a ciência! O...

Daniel Alves pode ser expulso para cumprir pena no Brasil; e ainda deixar a prisão em maio

Advogados espanhóis avisam. Pela condenação de estupro ser menor do que cinco anos, Daniel Alves pode ser expulso da...
spot_img

Bolsonaro não responde à Polícia Federal em depoimento sobre golpe de Estado

Ex-presidente ficou em silêncio O ex-presidente Jair Bolsonaro não respondeu aos questionamentos da Polícia Federal (PF), nesta quinta-feira (22), no...

Presidente da Câmara de Guadalupe anuncia início do ano legislativo com mensagem da prefeita Neidinha Lima e sessão ordinária no dia 26

O presidente da Câmara, vereador Dr. Dílson Barbosa Gomes, informou ao Portal Cidade Luz que as sessões legislativas terão...
spot_img

Posts Recomendados