Facebook impede que usuários na Austrália encontrem ou compartilhem notícias

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

O Facebook anunciou uma nova medida que impede usuários e editores da plataforma na Austrália de compartilhar e acessar notícias de veículos locais e internacionais. O anúncio foi feito na quarta-feira (17).

Segundo os Heads do Facebook, a restrição é uma resposta à legislação proposta por parlamentares da Austrália que, segundo a rede social, forçaria as plataformas de tecnologia a pagar os editores de notícias pelo conteúdo.

Dono do Facebook – Mark Zuckerberg Foto: O GLOBO

“O que a lei proposta apresentada na Austrália falha em reconhecer é a natureza fundamental do relacionamento entre a nossa plataforma e os editores”, escreveu Campbell Brown, vice-presidente de parcerias de notícias globais do Facebook, em um blog.

 “Ao contrário do que alguns sugeriram, o Facebook não rouba conteúdo de notícias. Os editores optam por compartilhar suas histórias no Facebook”.

“Espero que no futuro possamos incluir notícias para as pessoas na Austrália mais uma vez”, escreveu Brown.

Em uma audiência pública em janeiro, o Facebook já havia sugerido ao Senado autraliano que iria bloquear conteúdos no país, caso o projeto se tornasse lei. O Google também prometeu na mesma reunião a restrição completa do mecanismo de busca na Austrália.

Apesar da ameaça, o Google sinalizou que está seguindo um caminho diferente do Facebook. Antes da rede social anunciar as restrições, a plataforma de buscas estreitou relaçõees com as editoras de conteúdo da Austrália.

Austrália responde às medidas

O primeiro-ministro da Austrália criticou a medida adotada pelo Facebook alegando qua ação afetou “serviços de informação essenciais sobre saúde e serviços de emergência”, por terem sido impedidos de compartilhar informações em suas páginas.

“Eles podem estar mudando o mundo, mas isso não significa que eles o comandem”, disse o primeiro ministro sobre as empresas de tecnologia.

“Essas ações apenas confirmarão as preocupações que um número cada vez maior de países está expressando sobre o comportamento das empresas de Big Tech que pensam ser maiores do que os governos e que as regras não deveriam se aplicar a elas”, escreveu Morrison em um post na sua conta do Facebook.

Nesta quinta-feira (18), o tesoureiro australiano Josh Frydenberg chamou o projeto de lei de reforma importante. Ele disse que as medidas da plataforma prejudicam o país.

“O Facebook estava errado”, disse Frydenberg em entrevista coletiva. “As ações do Facebook foram desnecessárias, foram pesadas e prejudicarão sua reputação aqui na Austrália”, afirmou.

Kerry Flynn , da CNN Business

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

‘Churrasco do brasileiro’: Preço da picanha cai, mas cerveja fica mais cara em 12 meses

Carnes, frango e linguiça estão mais em conta, mas pão de alho, vinagrete e bebidas se tornaram principais vilões...

Com investimento de R$ 3 milhões, governo do Piauí entrega escola “modelo” em tempo integral

Fundado em 1938, o Ceti Fenelon Castelo Branco foi totalmente reformado e requalificado para se adequar ao padrão Seduc. O...

Campeonato de Jerumenha estreia com vitória dominante do China sobre o Serraria por 4X0

O Campeonato de Futebol de Jerumenha teve seu pontapé inicial ontem, 13 de abril, com um confronto entre as...

Wellington Dias defende Bolsa Família para trabalhadores rurais com carteira assinada

A matéria tramita na Câmara dos Deputados e sofre pressão da bancada ruralista, que tenta acelerar a aprovação do...
spot_img

PL que regula atividade dos motoristas de aplicativos ganha mais tempo na Câmara

Os profissionais seguem acompanhando as discussões no Congresso, que agora terá o texto analisado por outras 3 comissões da...

Mais R$ 1,4 bilhão está ao alcance dos produtores rurais por meio do Plano Safra

O montante disponível para operações de crédito foi anunciado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).  Advogado especialista...
spot_img

Posts Recomendados