UFPI anuncia pagamento de bolsas após desbloqueio de verbas para educação superior; veja datas

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Estudantes afirmaram que bloqueios de verba ameaçam permanência em universidade.

A Universidade Federal do Piauí (UFPI) informou que vai realizar o pagamento de bolsas do Programa Nacional de Assistência Estudantil (Pnaes) até a próxima segunda-feira (12). O anunciou foi feito na noite dessa quinta-feira (8), após a liberação de recursos bloqueados pelo Governo Federal ao Ministério da Educação (MEC).

Em nota, a UFPI comunicou que recebeu verba ainda na quinta-feira (8) e deve repassar parte do valor para os 5.654 estudantes beneficiados na instituição (leia a nota na íntegra ao fim da reportagem).

UFPI anuncia pagamento de bolsas após desbloqueio de verbas

Já as bolsas da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), destinadas a alunos de mestrado, doutorado e pós-doutorado, conforme a UFPI, devem ser pagas até a terça-feira (13). Na instituição, 483 estudantes recebem o auxílio.

Na noite da última terça-feira (6), a Capes divulgou que, após bloqueios orçamentários na pasta, não teria dinheiro para pagar mais de 200 mil bolsas em todo o Brasil. Na quinta (8), o órgão conseguiu o desbloqueio de R$ 210 milhões.

“No que se refere às demais bolsas, que são pagas com outras fontes de recursos, o pagamento está condicionado a uma compensação financeira solicitada junto ao MEC”, diz trecho da nota.

A UFPI ressaltou ainda que está em contato com a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) e com o atual Ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira (Progressistas), na expectativa de solucionar a situação orçamentária.

“Ciente de que esse cenário possa gerar preocupações entre os segmentos beneficiados com as referidas bolsas, a Administração Superior tem atuado junto a fóruns e instâncias mobilizadoras para fomentar a resolução desse quadro”, concluiu.

“Extremamente importante pra minha permanência na universidade”, diz estudante

O acadêmico de ciências sociais Pedro Henrique Soares da Silva, de 22 anos, recebe o Auxílio Residência (AR) no valor de R$ 600. O jovem, natural de São Domingos do Maranhão, estuda no Campus Ministro Petrônio Portela, em Teresina, e relatou ao g1 que a ausência do recurso poderia comprometer a permanência dele na universidade.

O AR, destinado aos estudantes de outras localidades que não têm condições de se manter onde um campus é situado, está vinculado ao recebimento do benefício de Isenção de Taxa de Alimentação (ITA). A bolsa tem o valor de R$ 400 para Bom Jesus, Floriano e Picos, e R$ 600 para Teresina. Os alunos contemplados podem receber o auxílio durante o período regulamentar do curso.

“Sou de uma família bastante pobre, os auxílios da UFPI são extremamente importantes para minha permanência em Teresina e na universidade, pois é por meio deles que arco com as despesas gerais do mês, como aluguel, energia, água, internet e transporte”, comentou Pedro Henrique.

“Esses dias em que fiquei na incerteza do recebimento da bolsa foram estressantes e difíceis, pois não sabia como poderia arcar com essas contas. Por exemplo, meu aluguel já venceu e não sei o que fazer em relação a isso, espero que a bolsa caia no prazo estipulado pela UFPI”, destacou.

A liberação de recursos causou alívio para a estudante do curso técnico em informática Joyce Mayra, de 25 anos. Ela também recebe bolsa de auxílio estudantil.

“É a única fonte de renda que possuo atualmente. O atraso compromete todas as minhas finanças e compromissos. Me senti aliviada [ao ver as datas de previsão de pagamento]”, disse.

Linha do tempo dos bloqueios em 2022

  • 27 de maio – O Governo Federal havia anunciado um bloqueio de 14,5% das verbas orçamentárias para as universidades e institutos federais.
  • 3 de junho – O ministro da Educação, Victor Godoy, disse que o corte na verba destinada às universidades federais seria de 7,2%, e não mais de 14,5%.
  • 4 de julho – A UFPI anunciou que sofreu um corte de R$ 7,7 milhões no seu custeio.
  • 22 de setembro – O Ministério da Economia anunciou um bloqueio de gastos de R$ 2,63 bilhões no orçamento deste ano.
  • 5 de outubro – Universidades federais afirmaram que o Governo Federal formalizou o bloqueio de recursos, anunciado em setembro, do Ministério da Educação.
  • 6 de outubro – A UFPI informou que sofreu um corte de R$ 5,5 milhões em seu orçamento.
  • 7 de outubro – Após a repercussão negativa, o Governo Federal voltou atrás da decisão e devolveu o valor à educação.
  • 28 de novembro – Entidades ligadas à educação superior no Brasil disseram que o Governo Federal efetuou um novo bloqueio de verbas.
  • 29 de novembro – UFPI definiu situação financeira como ‘insustentável’.
  • 1 de dezembro – Governo Federal anunciou o desbloqueio da verba da educação e, horas depois, voltou atrás da decisão e aumentou o bloqueio.

Confira a nota completa da UFPI

A Universidade Federal do Piauí (UFPI), atuando com transparência e primando pelos serviços que presta à comunidade acadêmica, informa que os valores relativos às bolsas de Assistência Estudantil (Pnaes) no âmbito da UFPI foram depositados hoje (08/12) e serão compensados até segunda-feira (12/12), inclusive com o pagamento do mês de dezembro, totalizando 5.654 benefícios.

No que se refere às demais bolsas, que são pagas com outras fontes de recursos, o pagamento está condicionado a uma compensação financeira solicitada pela UFPI junto ao Ministério da Educação (MEC).

Esclarece, ainda, no que tange às 483 bolsas CAPES – demanda social – de mestrado e doutorado, com valores repassados diretamente pela CAPES para as contas individuais dos pós-graduandos, que foi registrada, em recente divulgação do MEC, a previsão de pagamento até terça-feira (13).

Ciente de que esse cenário possa gerar preocupações entre os segmentos beneficiados com as referidas bolsas, a Administração Superior tem atuado junto a fóruns e instâncias mobilizadoras para fomentar a resolução desse quadro. Nesse sentido, vale destacar que o Reitor da UFPI, Gildásio Guedes, intermediou diálogo entre a Presidência da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (ANDIFES) e o Ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, com o objetivo de buscar alternativas para a situação orçamentária das universidades federais após o bloqueio de recursos realizado pelo governo federal em 1º de dezembro.

Fonte: G1 Piauí

Gleison Fernandes
Gleison Fernandeshttps://portalcidadeluz.com.br
Editor Chefe do Portal Cidade Luz

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

Júlio César e Neidinha Lima participam de audiência pública sobre a II Etapa do Projeto de Irrigação Platôs de Guadalupe

O evento foi organizado pelo MIDR, com parceria do DNOCS e o apoio do Governo do Estado do Piauí,...

Georgiano Neto diz que PSD está fazendo o dever de casa por vaga majoritária em 2026

Ele se referiu aos planos do partido que almeja fazer parte do time majoritário de Rafael Fonteles. O deputado estadual...

Guadalupe mantém tradição e realiza Dia do Vaqueiro com cavalgada, missa e homenagens

O evento é um destaque no calendário cultural do município, reforçando a fé e a devoção da comunidade local....

Adriana Sá destaca participação na Caravana Federativa em Teresina e presença do presidente Lula

Por Gleison Fernandes. A advogada Adriana Sá, pré-candidata do PT à prefeitura de Landri Sales, participou ativamente da Caravana Federativa...
spot_img

Quina de São João de R$ 200 milhões será sorteada neste sábado; veja como jogar

Os números serão revelados a partir das 20h. Prêmio é o maior da história do concurso especial e não...

Professores de pelo menos 25 universidades decidiram pelo fim da greve

Interrupção da paralisação não significa o retorno imediato às aulas Professores de pelo menos 25 universidades federais já decidiram pelo...
spot_img

Posts Recomendados